ÁREA DO ASSOCIADO

  • Conectar-se
  • Entrevista com Luis Afonso Bazzo

    10/11/2014

    ENTREVISTADO: Luis Afonso Bazzo, Diretor Adm. Financeiro – CAB ambiental Regional MT

    Sobre:

    Luis Afonso Bazzo, economista, formado pela PUC – Campinas, com especialização na FEA – RP/ USP em contabilidade internacional (IFRS), controles e governança. Há 8 anos na CAB ambiental, já atuou em diversas concessões de Água e Esgoto e PPP´s. Atualmente é o Diretor Administrativo Financeiro na regional do Mato Grosso da CAB ambiental.

     

    Tema:

    O entrevistado de hoje é Luiz Afonso Bazzo que faz um breve resumo sobre CAPEX e OPEX, tema que gera algumas controvérsias nas empresas de saneamento e que será tema de um curso de capacitação que o SINDCON promove no dia 13 de novembro em São Paulo dirigido aos associados da entidade:  CAPEX e OPEX  CONCEITOS E APLICAÇÕES  PARA EMPRESAS DE SANEAMENTO.

     

    Entrevista:

     

    SD –  Afonso, ouvimos regularmente em nossas empresas as palavras CAPEX e OPEX. Qual a importância deste conceito para a gestão dos nossos negócios?

     

    AB – OPEX e CAPEX estão ligados aos resultados e desembolsos de caixa de qualquer operação.

     

    Simplificando, OPEX corresponde aos gastos operacionais (custos e despesas) e CAPEX aos investimentos realizados nas operações.

     

    Como exemplo, podemos citar a compra de um conjunto moto bomba é um CAPEX, já a energia elétrica para colocar em funcionamento este conjunto moto bomba é um OPEX.

     

    A gestão eficiente do OPEX, como os gastos em mão de obra, energia elétrica, produtos químicos, materiais de manutenção, entre outros, levam a companhia a alcançar um melhor resultado operacional.

    Já a gestão eficiente do CAPEX, como gastos em implantação de redes, readequações de estruturas, novas ligações, projetos de setorizações, automações, reduções de perdas, construções de ETA´s e ETE´s, dentre outros, levam a companhia para uma melhor gestão dos seus recursos financeiros, em sua maioria proveniente de financiamentos, além de impactar diretamente na redução do OPEX da operação.

     

     

    SD – Sabemos que este é um tema contábil mas, além dos especialistas, quais outras áreas e profissionais também precisam conhecer esse assunto?

    AB –Todo o corpo gestor precisa saber claramente o conceito de OPEX e CAPEX e ter a condição de repassar para as equipes operacionais esse conceito.

     

    SD – Por que este conceito é tão controverso e difícil de ser aplicado nas empresas de saneamento?

    AB – A dificuldade está em conseguir segregar em alguns casos o que é OPEX e o que é CAPEX para que a classificação seja feita de forma adequada. Existem alguns serviços e materiais que podem ser confundidos facilmente, tentamos reduzir essa dificuldade com treinamentos constantes ministrados pela área de controladoria e contabilidade, envolvendo todos os gestores e colaboradores que tenham alguma influência ou participação nos processos de determinação e classificação.

     

    SD –  Além do curso que será realizado no dia 13 de novembro, como o SINDCON pode continuar trabalhando com esse tema para ajudar seus associados?

    AB – A criação de um painel temático ou um comitê de assuntos contábeis, seria uma forma de manter todos os associados atualizados sobre o assunto.

    Compartilhe: