ÁREA DO ASSOCIADO

  • Conectar-se
  • Celular na mão, água limpa nos pés

    04/01/2021

    O Rio de Janeiro solucionará problemas graves do saneamento nos próximos 12 anos. No total serão investidos R$ 31 bilhões ao longo dos 35 anos de concessão da Cedae, beneficiando mais de 13 milhões de pessoas no estado.

    O Governo do Rio de Janeiro publicou nesta terça-feira (29/12) o edital de concessão dos serviços de água e esgoto da Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae), dando prosseguimento a um dos maiores projetos de infraestrutura em curso do país.

    Cerca de 10 milhões de fluminenses, divididos em 35 municípios deverão ser beneficiadas diretamente, com investimentos na ordem de R$ 31 bilhões que deverão garantir a universalização dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário.

    “Esse passo marca um novo tempo do saneamento, pois trata-se de um dos maiores projetos de infraestrutura dos últimos anos. Todos os nossos esforços para este dia não foram em vão: o País dá um passo importante para deixar de ser o país do celular na mão e esgoto no pé”, afirma Percy Soares Neto, diretor executivo da Abcon, responsável pelo estudo que revela os grandes números que serão aplicados no saneamento do Rio de Janeiro.

    Somente nos próximos 12 anos, serão injetados mais de R$ 28 bilhões com geração de mais de 400 mil novos postos de trabalho.

    Além da expansão das redes de distribuição de água, estão previstos investimentos na melhoria da infraestrutura atual, redução de volume de perdas de água, que hoje está em torno de 40% e destinação e tratamento de esgoto.

    Com isso, mais de 280 toneladas de efluentes, o equivalente a 28 caminhões cheios de esgoto, deixarão de ser despejados diariamente na Baía de Guanabara. Com as concessões, favelas não-urbanizadas do Rio de Janeiro Com modelagem do BNDES, a licitação de parte dos serviços da Cedae prevê que a captação de água permaneça com a companhia estadual, enquanto a gestão e operação do fornecimento de água, coleta e tratamento de esgoto ficarão com as empresas vencedoras da concorrência em seus respectivos blocos receberão investimento mínimo de R$ 1,86 bilhão em água e esgoto.

    Compartilhe: