ÁREA DO ASSOCIADO

  • Conectar-se
  • N. 05 – Impactos econômicos da universalização do saneamento básico em Goiás

    No Estado de Goiás, cerca de 830 mil pessoas não possuem acesso ao serviço de abastecimento de água, e apenas 56,6% da população tem acesso ao serviço de esgoto. Para que essa realidade seja alterada, será necessário o investimento de R$ 24 bilhões no setor para alcançar a universalização, o que equivale a um investimento de R$ 1,6 bilhão ao ano. Em 2019, apenas R$ 402 milhões foram investidos em saneamento no Estado, valor 75% inferior ao investimento necessário para que a universalização seja alcançada até 2033, conforme as metas estabelecidas no Plano Nacional de Saneamento Básico.

    N. 04 – Impactos econômicos da concessão da companhia estadual de águas e esgotos – CEDAE

    impacto social e ambiental dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário é de amplo conhecimento da sociedade. Contudo, há também um impacto econômico do setor via estímulo de uma ampla e capilar cadeia de fornecedores, com geração de empregos e renda, que precisa ser mais bem avaliado, especialmente no contexto de retomada do crescimento econômico.

    N. 03 – Impacto dos investimentos em abastecimento de água e esgotamento sanitário na cadeia produtiva do setor

    O impacto social e ambiental dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário é de amplo conhecimento da sociedade. Contudo, há também um impacto econômico do setor, com geração de empregos e renda, que precisa ser mais bem avaliado, especialmente no contexto de retomada do crescimento econômico. Os investimentos necessários para a universalização do saneamento – considerando somente a expansão da rede – cerca de R$ 498 bilhões – terão um impacto multiplicador na economia de 2,8 com relevante impacto na construção civil e na indústria de máquinas e equipamentos.

    N. 02 – Para onde vamos: os movimentos de mercado e as lacunas a serem preenchidas do novo marco legal do saneamento

    O novo marco legal do saneamento terá um papel estratégico na retomada do crescimento econômico contribuindo para a modernização e o desenvolvimento do setor mais atrasado da infraestrutura brasileira e viabilizando um fluxo de investimento estruturado no setor. Por conta do aumento da segurança jurídica, qualificação da regulação, competição e qualidade do ambiente de negócios investidores e operadores vem demostrando apetite por esse mercado.

    N. 01 – Coronavírus e o day after: Qual é o legado que queremos deixar para o saneamento brasileiro?

    A pandemia que enfrentamos exige uma série de medidas que busquem a preservação da vida e o mínimo de estabilidade econômica. Nesse contexto, o saneamento é um setor estratégico tanto na contenção da expansão do COVID-19 quanto na retomada do crescimento após a crise. A Análise Conjuntural desse mês discute os legados que podemos deixar para o saneamento brasileiro para o longo prazo.